Educação Psicomotora

IMG_7490 Educação Psicomotora

Educação Psicomotora ou Educação do Movimento

Hoje em dia falamos tanto em educação Psicomotora e atividades que desenvolvem a psicomotricidade. Mas, o que significa isso na prática?

As atividades psicomotoras e os exercícios corporais desenvolvem a conscientização e o domínio do corpo, a apropriação do esquema corporal, a coordenação psicomotora, o ajustamento de gestos e de movimentos e o aumento das discriminações perceptivas (percepção e a integração da noção de espaço imediato (posições relativas, deslocamentos e itinerários) e a noção de tempo pessoal (coordenação dos movimentos e exercícios rítmicos).

O desenvolvimento harmonioso dos componentes corporais, afetivos, intelectuais e da personalidade da criança, objetivam a conquista de uma relativa autonomia e da apreensão refletida do mundo que o cerca. 

 

Habilidades a serem desenvolvidas:

Espaço temporalPercepção de como o tempo e espaço organizam-se. O que acontece quando estou mais rápido, ou mais devagar. Exemplos de atividades de orientação espaço temporal: andar devagar até o fim da sala; andar depressa, voltando ao ponto de partida; andar devagar e depois correr uma mesma distância demarcada na quadra.

Equilíbrio

Manutenção do corpo em uma mesma posição durante um tempo determinado. Pode ser estático ou dinâmico. Exemplos de atividades: brincar de estátua, marchar nos calcanhares, permanência em pé, sentada ou deitada.

 

Ritmo

Perceber o ritmo do seu corpo em movimento. Exemplos de atividades de ritmo: Permanecer na ponta dos pés, enquanto se conta até dez. Levantar e baixar na ponta dos pés. Andar sobre linhas marcadas no chão: retas, quebradas, curvas, sinuosas, círculos, mistas. Bater palmas no ritmo do professor (rápido, lento, forte, fraco). Bater bola com a mão seguindo o ritmo marcado pelo professor.

 

Coordenação motora ampla ou global

Realização de grandes movimentos com todo o corpo, envolvendo as grandes massas musculares, havendo harmonia nos deslocamentos. Não a precisão nos movimentos, ainda que seja admirável a coordenação perfeita dos movimentos. Exemplos de atividades: marchar batendo palmas, correr, saltar, saltitar, rodopiar, descer, subir, etc.

 

Coordenação motora fina

É a competência para realizar movimentos específicos, usando os pequenos músculos, a fim de atingir a execução bem-sucedida da habilidade. Solicita uma ação de grande exatidão no movimento. Movimentos manuais em que coordenação e a precisão são essenciais. Exemplos de atividades: tocar piano, escrever, modelagem com massinhas, recortar, colar, trabalhos com objetos pequenos como: pinças, alicates de unha, etc.

 

Agilidade

Caracteriza-se pelas atividades que estabelecem movimentos rápidos e precisos. Exemplos de exercícios de Agilidade: fazer uma fila, colocar cones enfileirados e pedir que alunos corram em velocidade, esquivando dos cones, brincar de pega-pega ou jogos de esquiva.

 

Tonicidade

É a ação de fortificar-se, fortalecer-se, robustecer-se. É a qualidade, estado ou condição de tônico. Analisa-se que a tonicidade é a força muscular que o aluno/criança vai contraindo em razão das atividades concretizadas diariamente.

 

Aqui no Me põe na História, desenvolvemos uma gama variada deste tipo de atividade, visando sempre o desenvolvimento integral da criança. A Educação Psicomotora é fundamental para uma alfabetização tranquila e para o desenvolvimento de várias outras habilidades ao longo da vida!

Contribuição: Juliana Santos – Supervisora KDZ 6

Outros links relacionados:

Circuito de Psicomotricidade

Dança das cadeiras para desenvolver a psicomotricidade

Adaptação: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/direito/psicomotricidade-educacao-psicomotora/35749

O Me põe na História existe para proporcionar experiências de aprendizado que desenvolvam a criança de forma completa. Acreditamos que, para formar pessoas autônomas, auto suficientes e realizadas é preciso um ambiente acolhedor e estruturado, que estimule o desenvolvimento de múltiplas inteligências. Podemos educar mais se nos conectarmos com o mundo das crianças, ir além de aulas e da sala de aula. Ao criarmos um universo centrado no ser humano utilizamos o fantástico para proporcionar um aprendizado muito mais prazeroso, e consequentemente mais duradouro.

Conheça nossa abordagem >

Quer saber mais? Nós te ligamos.